UBE – PE

 

CERTIDÃO DE NASCIMENTO DA UBE-PE

 

       A União Brasileira de Escritores, UBE-PE, nasceu na Rua Amélia, no bairro do Espinheiro, na sede do Gráfico Amador de Gastão de Holanda, na presença de poetas e escritores e, entre eles, Carlos Pena Filho, Carlos Moreira, Clóvis Melo, José Gonçalves de Oliveira, Abelardo da Hora e Paulo Cavalcanti.

       Ficou, então, decidido naquele momento que ficariam esquecidas todas as fichas de filiados das duas associações fundadas no ano de 1948 e se daria início a novo quadro social da UBE-PE.

         Por aclamação, foi eleito o primeiro presidente da nova entidade, o poeta Carlos Pena Filho, porém, dias depois, na calçada do Diário de Pernambuco, ele ponderou em favor do nome de Paulo Cavalcanti.

         Paulo fez uma exigência a Pena e Carlos Moreira, para que consultassem personalidades ligadas ao meio e salientou os nomes de Gilberto Freyre, Luís Delgado, Mauro Mota, Andrade Lima Filho, Nilo Pereira, Sílvio Rabelo, Cleofas de Oliveira, Aníbal Fernandes entre outros.

Ouvidos ou não, formou-se a 1ª Diretoria que ficou assim composta: Paulo Cavalcanti, Renato Carneiro Campos, Carlos Moreira, César Leal, Carlos Pena Filho, Lucilo Varejão Filho, Audálio Alves, Olímpio Bonald Neto, Edmir Domingues, José Gonçalves de Oliveira, Jefferson Ferreira Lima, Clóvis Melo, Vanildo Bezerra, Abelardo da Hora entre outros.

         A solenidade de posse se deu no dia 14 de julho de 1961. Entre os projetos dessa primeira diretoria, estavam concursos literários para diversas categorias, com prêmios em dinheiro, tendo sido realizados com grande rigor, sendo premiados Osman Lins, Gilvan Lemos, Hermilo Borba Filho, Luiz Ayala, Olímpio Bonald Neto, Audálio Alves, Renato Carneiro Campos, Luiz Marinho e Olímpio Menezes nas diversas categorias.

       A UBE-PE fez questão de se fazer presente em congressos, encontros literários, estimular escritores e artistas pernambucanos a participarem do movimento cultural recifense.

         O compromisso dos escritores, com a cultura, estava firmado, porém a bandeira de luta foi desfraldada quando o Presidente da República João Goulart, pressionado pelo grupo direitista do seu governo, tentou implantar, no país, o Estado de Sítio, a UBE – PE foi às ruas e protestou contra a medida anti-democrática.

          Enaltecer as raízes históricas do país, estimular a criação literária, defendendo as tradições culturais e a liberdade de criação.

       A UBE-PE participou, de forma ativa, do movimento cultural, não só de Pernambuco, mas, também, no Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Porto Alegre, tendo, em um desses, contado com a participação de Pablo Neruda.

 

(Trecho inicial do capítulo 3 do livro “UBE-PERNAMBUCO – Mais de meio século de história”, de Adiuza Belo – Novo Estilo Edições do Autor, Recife – PE, 2008)

 

 

Coordenação de Conteúdos : Juareiz Correya  –  Webdesigner : Hugo Campos  – Produção / Webmaster : João Guarani  – Digitação : Giovanna Guterres